Frases sobre o Cinema e o Teatro

maio 24, 2009 at 12:47 pm (Relicário de Frases)

errante

CINEMA

Não existe cinema, existem filmes.

Eduardo Coutinho (1933-) Cineasta Paulista  (Extraído do Jornal O Estado de S. Paulo).

Se um filme é sincero em questões políticas, sempre desagrada aos fascistas.

Glauber Rocha (1939 -1981) Cineasta Baiano (Extraído do livro: È Dando que se Recebe).

Não me lembro de nada que tenha me dado tanto e tão constante prazer desde a infância quanto o cinema-incluindo aí mamadeiras, primas e gibis.

Luis Fernando Veríssimo (1936-) Cronista Gaúcho (Banquete com os Deuses).

Se dá dinheiro, o cinema é indústria. Se perder, é arte.

Millôr Fernandes (1924 –) Escritor e Humorista carioca (Millôr Definitivo: A Bíblia do Caos).

Antigamente os filmes eram bobos e divertidos. Hoje são bobos e chatos.

Paulo Francis (1930-1997) Escritor e Jornalista Carioca (Waaal: O Dicionário da Corte de Paulo Francis).

Eu creio na imagem… Na imagem todo-poderosa. Que constrói o movimento. Cria o ritmo. Que revela a alma.

Vinicius de Moraes (1913-1980) Poeta e Compositor Carioca (O Cinema de Meus Olhos).

TEATRO

A mais básica exigência para que alguém venha a produzir uma boa obra dramática é convicção total e absoluta de ser possível se dizer alguma coisa sobre o homem, seu comportamento e suas relações com os seus semelhantes e com o universo em que vive, por intermédio de uma ação…

Bárbara Heliodoro (1923-) Crítica Teatral Carioca (Falando de Shakespeare).

Cinema e televisão divertem; teatro emociona.

Carlos Drumonnd de Andrade (1902-1987) Poeta e Cronista Mineiro (O Avesso das Coisas)

Não gosto de teatro, uso o palco para expressar idéias.

Gerald Thomas (1954-) Dramaturgo Inglês radicado no Brasil (Extraído da Revista Època).

Tragédias não faltam. O que não temos é um Shakespeare.

Mário da Silva Brito (1916-) Poeta e Ensaísta Paulista(A Cartola do Mágico).

O bom de escrever teatro é que se pode dizer, com toda sinceridade, as coisas mais opostas, sem ser acusado de contradição.

Mário Quintana (1906-1994) Poeta Gaúcho (A Preguiça como Método de Trabalho).

O sujeito acha que o teatro ou é palanque ou é púlpito.È o lugar onde deve estar representado o homem, seja ele qual for, o torturador ou torturado.

Jorge Andrade (1922-1984) Dramaturgo Paulista (Em entrevista a Edla Van Steen no livro Viver e Escrever, Volume 2).

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário