FALHOS E FALHAS

fevereiro 24, 2008 at 6:39 pm (Escritos Errantes)

rosto-feminino-5.jpg

 

Pensei ser destino de peixe, mas meu coração derruba flores demais, não há nada além de um grito de dor, certa agonia, desesperos de perdas. Tomei um caldo que me fez feliz agora a pouco, aprendi a ler Bach de um jeito divino e maravilhoso, apesar disso enganei meu coração sensível de ares indeléveis. Tenho plena certeza que ninguém disse que me amava um dia. É difícil ser realista e acreditar nas ilusões que nos salvam. Não tenho competências de gato pra isso. Aprendi demais sendo bonzinho, hoje vejo falhas nas certezas e as certezas nas falhas. Estes escritos trazem uma calma de circo sem animais, trazem o amor de um espírito dolorido de Kafka. A alegria suicida de Woolf. Oh Deus! Oh Deus!.È tão bom sofrer, e tão difícil – não tirar da cabeça aqueles sentidos de violão, aquelas memórias de beijo, aqueles toques de praça. É tão irrelevante querer, melhor fingir não é? Não sei, talvez. O que sei só são palavras ao vento, meros descaprichos desmerecidos e dementes de dama. Meu espírito é sensível, tenho extremo cuidados a aqueles que amo. Odeio menos a aqueles que não gosto. A eles dou um prato raso de indiferença e privilégios de sorrisos. Falho ás vezes em não ser bonito, mas meu olhar transmite paz, eu sei, apesar de ser maldito. Diga a quem tu amas e eu ti direi quem és. Escrevo errado por ser errante. Suspiro sonhos. Decepo mentiras. Devo ser grande, apesar de ser pequeno ainda. Há uma nuvem de gênio em meus ouvidos. Espíritos de pássaros vagam em minha pele branca de pombo. Calmo transpareço flores de maio. Ainda serei gente, daqueles profetas sem bíblia, ainda serei… um poeta? Talvez, tudo que ganho é experiência e aprendizagem. As dores são boas pra isso. Descobrem-nos dos lençóis de mentira. E isso é muito bom. A vida é tão rara. Falhos e falhas. Choro a perda, mas entendo os motivos, mas não esquecerei um só minuto os momentos felizes. Pois amor é sofrer, e não amar é sofre mais. Falhos e falhas.

Anúncios

4 Comentários

  1. brgaudencio said,

    A tela acima do meu texto é do Artista plástico e Ensaísta Anacâ Rupert Agra.
    o texto é meu e o sofrimento também.

  2. ju lira said,

    Escritores mediocres falam dos outros.Grandes escritores falam de sentimentos.
    O texto é assustadoramente angustiante,como a vida.É belo e profundo,é intenso e poético,melancolico e com uma pitada de otimismo.Pode-se notar facilmente as caracteristicas daquele grande escritor.Como é mesmo o nome dele?Lembrei, Bruno Gaudencio.

  3. João Aguiar said,

    Não chamo isto de masoquismo – embora, boa parte do que falo tenha, realmente, uma conotação sexual – risos – mas, de um sentimento maior, de uma sensação que transpassa o mero prazer efêmero que passa após alguns minutos de êxtase. Talvez o sofrimento de amar seja, para os verdadeiros amantes, um combustível divino. Para muitos, fonte de inspiração para poemas, versos soltos, frases angustiantes, pinturas ou, simplesmente, um condutor eficaz para lágrimas de um coração que, metaforicamente, não é dotado de vasos lacrimais. E eu, como bom adepto do “sofrer por amor”, só tenho que corroborar, pelo menos, com as últimas frases e, por alguns momentos, expor minhas “falhas”… Agonia e desejo, dor e prazer, repulsa e atração… duetos difíceis não acham? Pois amar este sofrimento velado é, qual mágico, fazer da ilusão realidade no circo de horrores que se torna a nossa vida quando deixamos de amar… AMEMOS POIS…

  4. jotamatias said,

    Uma crônica confessional.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: